Cadeia de Valor: O que é, etapas e como implementar

Cadeia de Valor: O que é, etapas e como implementar

A cadeia de valor é um conceito essencial para qualquer organização que busca melhorar seus processos e obter uma vantagem competitiva no mercado. Desenvolvida por Michael Porter, essa ferramenta analítica permite mapear as atividades que criam valor para o cliente, identificando oportunidades de melhoria e otimização. Neste artigo, vamos explorar o que é a cadeia de valor, suas etapas e como implementá-la eficazmente.

O que é a cadeia de valor

A cadeia de valor é uma metodologia criada por Michael Porter, em 1985, um dos principais professores de Harvard Business School. Ela é utilizada para analisar as atividades internas de uma empresa com a finalidade de identificar aquelas que geram mais valor para os clientes e proporcionam vantagem competitiva. Essa análise permite entender como cada etapa do processo de produção e entrega contribui para a criação de valor, desde a aquisição de matérias-primas até o atendimento pós-venda.

Em outras palavras, a cadeia de valor permite que a organização entenda seu próprio funcionamento e a prática dos seus processos produtivos e estratégicos.

Objetivo da cadeia de valor

A cadeia de valor tem como objetivo, principalmente, coordenar e otimizar os processos internos da organização para maximizar a criação de valor para o cliente final. Ao mapear e analisar os macros e micro processos, permitindo identificar os pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças, melhorando suas operações e aumentando sua competitividade no mercado.



Portanto, a importância da cadeia de valor reside na sua capacidade de ajudar as empresas a entenderem onde e como podem obter uma vantagem competitiva. Ao identificar e otimizar as atividades que geram mais valor, as empresas podem reduzir custos, melhorar a eficiência, assim como oferecer produtos e serviços de maior qualidade, o que resulta em maior satisfação do cliente e, consequentemente, em melhores resultados financeiros.

A cadeia de valor segundo porter

Michael Porter, em seu livro “Competitive Advantage“, apresentou a cadeia de valor como uma série de atividades realizadas por uma empresa para entregar um produto ou serviço valioso ao mercado. A premissa se baseia em uma fórmula:

Premissa da cadeia de valor de Porter
Premissa da cadeia de valor de Porter

Ou seja, se o valor que uma empresa oferece aos seus clientes supera o custo de produção, por conseguinte, o resultado será um lucro maior. Isso porque, ainda de acordo com Porter, as empresas podem aumentar seus lucros usando a análise da cadeia de valor de duas maneiras diferentes: lideranças de custos (que consiste em cortar gastos de produção e simplificar processos para aumentar a lucratividade) e diferenciação competitiva (aumentar o preço ao oferecer um serviço exclusivo, diferenciando ou de alto valor para o cliente).

Essas atividades são divididas em dois grandes grupos: atividades primárias e atividades de apoio (ou suporte).

Cadeia de Valor de Porter
Cadeia de Valor de Porter

Atividades primárias

As atividades primárias, também chamadas de “processos core”, representam qualquer ação que produza benefícios diretos para os clientes da empresa e estão diretamente relacionadas com a entrega de valor para o público e com a criação física do produto, sua venda e transferência ao comprador, além do suporte pós-venda.

  • Logística de entrada: A logística de entrada envolve a recepção, armazenamento e distribuição de insumos necessários para a produção. Isso inclui o gerenciamento de fornecedores, controle de inventário e transporte interno.
  • Operações: As operações referem-se ao processo de transformação dos insumos em produtos acabados. Isso pode incluir a fabricação, montagem e embalagem dos produtos.
  • Logística de saída: A logística de saída abrange todas as atividades necessárias para entregar o produto final ao cliente. Isso inclui a gestão de armazéns, transporte e distribuição dos produtos.
  • Marketing e vendas: O marketing e vendas envolvem as atividades que convencem os clientes a comprarem os produtos e serviços da empresa. Isso pode incluir publicidade, promoção de vendas, força de vendas e gestão de preços.
  • Serviços: Os serviços englobam as atividades relacionadas ao suporte pós-venda, como assistência técnica, manutenção e reparo, que garantem a satisfação do cliente após a compra.

Atividades de apoio ou suporte

As atividades de apoio sustentam as atividades primárias e incluem funções internas que mantêm a empresa funcionando de maneira eficaz e servindo ao objetivo de gerar valor de maneira indireta. Entre elas temos, por exemplo:

Diferença entre cadeia de valor e mapeamento de processos

Embora ambos os conceitos sejam usados para analisar e melhorar os processos de uma organização, a cadeia de valor em detalhar como a empresa organiza seus processos para entregar valor ao cliente, ou seja, foca nas atividades que agregam valor ao produto ou serviço final.

Por outro lado, o mapeamento de processos se concentra, principalmente, em detalhar todas a etapas, isto é, toda a sequência entre as atividades que compõem o processo específico de ponta a ponta, independentemente do valor agregado, com o propósito de documentar, melhorar, padronizar e transformar as atividades cotidianas.

 Em resumo, a cadeia de valor é mais ampla que o mapeamento de processos, isso porque ela contempla e reflete todo o funcionamento de uma organização.

Etapas para implementação da cadeia de valor

Implementar a cadeia de valor envolve várias etapas que ajudam a identificar e otimizar as atividades que geram valor. Aqui estão as principais etapas para implementar a cadeia de valor em uma organização:

Identificação de atividades diretas e indiretas

A primeira etapa é identificar todas as atividades diretas e indiretas realizadas pela empresa. Lembrando:

  • Atividade diretas são aquelas que contribuem diretamente para a criação do produto ou serviço final, sem depender de outras atividades que estão na cadeia de valor.
  • Atividades de apoio ou indiretas são aquelas que suportam as atividades diretas ou primárias, garantindo que elas ocorram sem adversidades.

Análise de valor e custos

Após identificar as atividades, é essencial analisar o valor que cada uma agrega ao produto ou serviço e os custos associados a elas. Essa análise ajuda a identificar áreas onde os custos podem ser reduzidos e onde o valor pode ser aumentado.

Nesta etapa da criação da sua cadeia de valor, é importante envolver e contar com toda a ajuda do seu time para pensar em ideias de como gerar ainda mais valor para os clientes.

Verificação de conexões

A próxima etapa é verificar as conexões entre as atividades identificadas. Isso envolve analisar como as diferentes atividades se interligam e afetam umas às outras, identificando oportunidades de melhoria nas interações e fluxos de trabalho.

Dica: não apresse essa etapa, pois é normal que ela demande um prazo maior que as demais e é muito importante que as conexões sejam identificadas – será melhor e um pouco mais rápido se puder contar com a ajuda do seu time novamente, nesta etapa.

Busca de oportunidades

Por fim, a empresa deve buscar oportunidades de melhoria contínua na sua cadeia de valor. Isso pode incluir a implementação de novas tecnologias, a reengenharia de processos e a formação de parcerias estratégicas que agreguem mais valor ao cliente.

Benefícios da cadeia de valor

Implementar a cadeia de valor traz vários benefícios para as organizações, ajudando-as a se tornarem mais competitivas e eficientes.

Vantagem competitiva

Com a metodologia de Porter é possível identificar as oportunidades em relação ao que é apresentado no mercado e aos concorrentes. Ao identificar e otimizar as atividades que geram mais valor, as empresas podem obter uma vantagem competitiva significativa, diferenciando-se no mercado e atraindo mais clientes.

Melhoria contínua

A cadeia de valor promove a melhoria contínua dos processos, incentivando as empresas a buscarem constantemente formas de melhorar a eficiência e a qualidade de seus produtos e serviços.

Melhora na tomada de decisão

Ao proporcionar uma visão ampla e detalhada das atividades internas, a cadeia de valor permite que os gestores identifiquem rapidamente áreas que precisam de atenção e implementem as mudanças necessárias.

Da mesma forma, a cadeia de valor proporciona maior controle e entendimento dos processos e investimentos aos gestores. Por conseguinte, os gestores utilizam a cadeia de valor como um mapa para auxiliar a gestão de decisões.

Dicas para aplicação da cadeia de valor

Como visto anteriormente, a aplicação da cadeia de valor pode melhorar os processos e aumentar a competitividade de uma organização, mas também é importante ressaltar o nível de detalhamento que a metodologia exige para que haja uma estruturação da cadeia de valor eficiente.

Nesse sentido, há alguma atividades que ajudarão na aplicação da cadeia de valor e, por esse motivo, são extremamente importantes.

Mapeamento detalhado de processos

Um mapeamento detalhado dos processos ajuda a identificar todas as atividades realizadas pela empresa e como elas se interligam, proporcionando uma visão clara das áreas que precisam de melhorias. Como visto, quanto maior e melhor o mapeamento dos processos e das atividades, mais preciso será na criação da cadeia de valor.

Análise SWOT

A análise SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças), criada nos anos 60 por Albert Humphrey, pode ser utilizada juntamente com a cadeia de valor para identificar as áreas onde a empresa pode alavancar suas forças, corrigir suas fraquezas, aproveitar oportunidades e mitigar ameaças, amplificando o valor gerado aos seus clientes.

Análise SWOT para identificar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças
Análise SWOT

Definição de estratégias para melhoria contínua

Com base na análise da cadeia de valor, as empresas podem definir estratégias para a melhoria contínua de seus processos, garantindo que estejam sempre agregando o máximo valor possível para os clientes.

Dicas para aplicar melhoria contínua

  • Estabeleça um foco: concentre seus recursos nos pontos que trarão os melhores resultados, por isso, estabeleça o que você quer melhorar, primeiramente. Quando você não estabelece os pontos focais, é possível que você não consiga realizar as melhorias de forma eficaz.
  • Tenha medidas de desempenho: meça, avalie o desempenho e tome decisões com base nessas informações. Outra dica é utilizar indicadores para cada objetivo pois, dessa forma, todo o desempenho pode ser medido e avaliado.
  • Crie padronização: ela permite que você identifique os pontos de melhor nos processos da organização e, portanto, proponha melhorias e meça a melhora dos processos otimizados.

As principais etapas para melhoria contínua eficiente são planejamento, execução, checagem e ação. Ou seja, o famoso ciclo PDCA.

Etapas para melhoria contínua (ciclo PDCA) para melhorar a cadeia de valor
Ciclo PDCA

Recapitulando…

A cadeia de valor é uma ferramenta poderosa que ajuda as empresas a identificar, analisar e otimizar as atividades que criam valor para os clientes. Ao implementar a cadeia de valor, as empresas podem obter uma vantagem competitiva significativa, melhorar continuamente seus processos e tomar decisões mais informadas. Em última análise, isso resulta em produtos e serviços de maior qualidade, maior satisfação do cliente e melhores resultados financeiros para a organização.

Stories


Artigos Similares

logo zeev by stoque

Integramos agora o portfólio de Produtos Digitais da Stoque, empresa especialista em automação digital para processos e documentos. Nossos clientes passam a ter acesso a uma oferta mais ampla de soluções – tecnologias e serviços para automação de processos ponta a ponta.

Para clientes
Universidade Zeev
Help Zeev

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.

Entendido
Dicas para dominar as Soft e Hard Skills Janela de Johari: o que é o seu “eu desconhecido? Gráficos de Gantt: As 3 Melhores Ferramentas Gráfico de Gantt: o que é, como entender e onde criar