5 Problemas que você pode ter com estresse no trabalho

Nenhum trabalhador está isento de sofrer estresse relacionado ao trabalho em algum momento de sua vida. Por mais confortável e agradável que seja sua função de trabalho, sempre haverá a possibilidade de enfrentar uma situação que pode levar ao estresse.

O que é estresse no trabalho?

O estresse no trabalho é consequência de diferentes situações que ocorrem no nosso dia a dia de trabalho e de diversos fatores que podem afetar a nossa saúde mental e física. Provavelmente você já deve ter passado por alguma situação estressante ou visto alguém próximo passar, acertei?

Quando nós falamos em estresse no trabalho nos referimos a seguinte situação: há um desbalanceamento entre a demanda de trabalho e os recursos do trabalhador para lidar com está demanda. Sabe o motivo disso? É que nosso corpo tem recursos limitados, causando a pessoa um estado de exaustão física e mental. Isso representa uma séria ameaça à saúde e bem-estar dele, podendo inclusive afetar as suas relações familiares e afetivas.

Existem alguns sintomas físicos que podem aparecer durante o processo de estresse. Talvez você até já tenha sentido algum deles durante a sua jornada diária de trabalho! Veja só: a frequência cardíaca acelera, a respiração aumenta, os músculos ficam tensos e pode até ter influencia na sua pressão arterial.



Algumas causas de estresse no trabalho

Existem muitas causas que podem ocasionar em estresse no trabalho, cada pessoa pode ter gatilhos diferentes para que isso aconteça. Fiz aqui uma breve lista, das mais recorrentes causas que geram estresse. Veja só:

  • Expectativas econômicas, salário insuficiente;
  • Pressão do empregador, assédio moral ou assédio no local de trabalho;
  • Atividades de grande responsabilidade;
  • As funções contraditórias do trabalhador;
  • Falta de motivações;
  • Ausência de incentivos;
  • Conflitos entre empregados ou empregadores;
  • Cargas de trabalho excessivas;
  • Exposição a riscos físicos constantes;
  • Excesso de horas de trabalho;
  • Ritmo de trabalho acelerado;
  • Preocupação com a demissão;
  • Falta de possibilidades de conciliar a vida profissional com a vida pessoal.

Veja um exemplo clássico que pode gerar estresse no trabalho: uma pessoa com uma grande demanda de atividades que não tem processos definidos. Ela recebe essas atividades por e-mail, por whatsapp ou até mesmo por telefone. O que isso acaba gerando? Um desorganização, ela não tem como fazer uma boa gestão destas demandas. Além disso, ela corre o sério risco de deixar alguma tarefa para trás ou não dar conta de finalizar tudo. Pois o caos toma conta e aí sim, o estresse chega.

Outros fatores de estresse no trabalho

Existem mais alguns fatores que podem gerar também estresse no ambiente de trabalho. Importante lembrar que estes fatores podem ser variáveis de acordo com cada indivíduo.

O fator tempo: as tarefas precisam ser executadas em tempo recorde. Às vezes porque não nos organizamos bem e o tempo está se esgotando e outras vezes porque são tarefas urgentes e imediatas que devem ser feitas para nossos gestores o mais rápido possível. O que você precisa fazer é levar em consideração se a tarefa necessária poderá ser executada no tempo solicitado. Se não, pedir ajuda é algo que não só não é ruim, mas também alivia nossa carga mental.

Auto exigência: exigirmos muito de nós mesmos, não ficarmos satisfeitos nunca com as nossas entregas e temos a sensação de que sempre poderíamos ter feito algo a mais. Acabamos não percebendo que o nosso nível de auto exigência pode ser um fardo maior do que os já exigidos pelas tarefas do dia a dia.

Relações trabalhistas com a equipe de trabalho: quando ocorrem tensões ou atritos com colegas ou gestão no ambiente de trabalho; produz-se um sentimento de desamparo, opressão e desânimo. Também acontece quando percebemos certo assédio no local de trabalho. O estresse laboral, neste caso, apresenta-se como um fator a mais.

Carga de trabalho: excesso de horas trabalhadas com pouco descanso, ou com muitas atividades simultâneas para realizar. Aqui podemos levar em consideração também as tarefas serem desorganizadas e não terem um padrão para ser seguido. Essa sensação de muita carga de trabalho pode ser apenas uma percepção por não ter processos ou atividades bem estruturadas.

Funções no trabalho: não ter uma função ou responsabilidade definida no trabalho, ter muitas funções ou responder a mais de um gestor imediato. Além disso, não saber se é ou não o responsável por executar as atividades, quando elas não seguem um fluxo organizado e padronizado.

Condições trabalhistas: atividade muito extenuante ou perigosa, exposição a situações de estresse externo, como ruído, calor, poluição. Também devemos levar em consideração aqui os fluxos de atividades, como eles acontecem e o quanto a pessoa precisa se desgastar para ir atrás de informações para a execução de suas tarefas diárias.

Gestão: relações ruins com a gestão ou falta de comunicação com seu gestor imediato também podem ser causas de estresse. Além disso, a participação ou não nas tomadas de decisão, a falta de políticas para conciliar trabalho e vida social podem contribuir no quadro.

As fases do estresse no trabalho

Você conhece as fases do estresse e sabe identificar se está passando por isso? Essas fases servem para identificar as diferentes etapas que ocorrem até os episódios negativos que o estresse exerce sobre o trabalhador. É importante conhecer elas pois, dessa forma você pode trabalhar de uma maneira diferente para tentar garantir que a evolução não tenha um impacto negativo em você ou em algum colaborador da sua equipe. 

É válido lembrar que cada fase não tem uma duração específica, pois elas dependem da resistência da própria pessoa ao estresse. Existem três fases de estresse no trabalho:

  • A primeira fase é a fase de alarme. É a reação natural do corpo a uma causa estressante. O indivíduo se prepara para enfrentar algo que considera hostil e que é externo. A liberação de cortisol ou adrenalina é o que causa uma frequência cardíaca mais alta, respiração mais rápida e alguma ansiedade. Esta fase geralmente dura pouco tempo.
  • A segunda fase é o apelo à resistência. Quando a situação ameaçadora continua ao longo do tempo, nosso corpo gera alguma resistência ativa ao estresse para não cair em sintomas de exaustão. É a sensação de normalizar a situação ou controlá-la, mas o trabalhador consome mais recursos do que no início. A resistência ao estresse é o que determina a duração desta fase. Se os fatores que causam estresse ao trabalhador continuarem perdurando ao longo do tempo, passamos para a próxima fase.
  • A terceira e última fase é a exaustão. É aqui que o chamado Burnout aparece. Há um esgotamento fisiológico do trabalhador. Afeta tanto a mente quanto o físico, pois o corpo não pode continuar respondendo a essa ameaça externa e às agressões de seu ambiente. Se continuar por muito mais tempo, pode ter consequências para a saúde. É aqui que começam os declínios de desempenho devido a essa fraqueza emocional e física.

Então, quais os 5 problemas mais frequentes com relação ao estresse no trabalho?

Nos últimos tempos, passamos por situações bastante diferentes nas nossas vidas. Precisamos nos readaptar e conviver com o novo modelo de trabalho e de relações pessoais.

Por isso, como toda a ação tem uma reação, o estresse e o estresse no trabalho trazem grandes efeitos para as nossas rotinas. Vou colocar aqui a lista com os 5 problemas mais frequentes relacionados ao estresse no trabalho! Fique atento: 

1. Aumento do absenteísmo:

Com o estresse e seus desdobramentos emocionais e físicos podem aumentar as faltas no trabalho. Isso pode acontecer por diversos motivos, principalmente pelo fator emocional. Onde a pessoa não se sente apta ou capaz de desempenhar as suas atividades. Ou também por estar fisicamente incapacitada de sair de casa, em casos mais graves como de depressão.

2. Menos dedicação ao trabalho:

Quando a pessoa está sob estresse ela não consegue se dedicar da mesma forma ao trabalho. A sobrecarga emocional interfere diretamente nas rotinas e isso tem grande impacto em como a pessoa enxerga o trabalho e as suas atividades.

3. Falhas no desempenho e produtividade:

O estresse traz alterações ao estado emocional das pessoas. E, isso impacta diretamente no desempenho e na produtividade do dia a dia. Ele acaba trazendo uma desorganização no trabalho, pois a pessoa não consegue priorizar suas demandas, justamente por se sentir sobrecarregada.

4. Aumento de atividades inseguras e acidentes:

Pessoas que são acometidas por estresse no trabalho tem maior dificuldade de concentração e memorização. Isso aumenta muito o risco de acidente nas atividades rotineiras, o que gera um aumento de atividades inseguras.

5. Doenças físicas:

Além dos fatores anteriores, é muito importante ressaltar que o estresse no ambiente de trabalho geralmente acarreta em desdobramentos físicos nas pessoas que são afetadas pela doença. Aqui temos uma breve lista com os principais:

  • Fadiga crônica;
  • Cefaleia;
  • Distúrbio do sono;
  • Emagrecimento;
  • Gastrite;
  • Ansiedade;
  • Dores musculares.

Dicas para reduzir e prevenir o estresse no trabalho

Existem vários hábitos que podem ser associados ao estresse no trabalho, tais como: dores de cabeça, negatividade, medos, ansiedade, depressão etc. Veja algumas dicas e hábitos saudáveis para reduzir esse tipo de estresse:

  • Converse com o seu gestor sobre sua carga de trabalho; faça uma análise das cargas de trabalho e tente encontrar um ponto de equilíbrio;
  • Procure organizar a sua rotina de trabalho e de tarefas, assim você vai ter a real dimensão das atividades que tem para realizar e não sofrerá por antecipação;
  • Tente desligar a cabeça das suas atividades do trabalho quando estiver fora dele; 
  • Pratique alguma atividade física;
  • Meditação pode ser um grande aliado para reduzir o estresse;
  • Encontrar amigos, conversar e dar risada podem ajudar muito;
  • Tentar manter uma dieta equilibrada e saudável;
  • Evite trabalhar mais de 10 horas por dia;
  • Procure realizar cursos que ajudem você a lidar melhor com situações estressantes. Recentemente eu fiz um curso da Conquer Plus sobre inteligência emocional que ampliou muito meus horizontes. Recomendo!

Como os gestores podem contribuir para a redução do estresse?

  • Estimular a cultura do ambiente de trabalho onde as preocupações são geridas de forma amigável e agradável;
  • Procurar maneiras de organizar as tarefas e reduzir a sensação de caos e desorganização no time;
  • Gerar canais de comunicação mais abertos e participativos para ouvir opiniões, necessidades e sugestões sem exigir reuniões de sinistros;
  • Estimular atividades de vida saudável no ambiente de trabalho, minimizando padrões de comportamento e hábitos negativos;
  • Estimular que se fale sobre problemas de trabalho com pessoas de confiança que possa gerar ideias produtivas para soluções.

Para finalizar

O estresse no trabalho é uma das causas invisíveis que geram problemas na saúde mental dos colaboradores e que podem extrapolar para a saúde física também. É importante você ficar atento ao que está causando seu estresse e trabalhar para que as causas sejam eliminadas.

Um dica importante: é possível sim ter uma rotina de trabalho mais leve! Atualmente existem inúmeras ferramentas que ajudam você a ter uma melhor gestão de tarefas e atividades. Reduzindo muito a sensação de não estar dando conta e de que vai ser “engolido” pela sua rotina.

Stories


Artigos Similares

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.

Entendido
BPMS 5 funcionalidades e vantagens Janela de Johari o que são os 4 eus O que é e quis são as vantagens de um Quadro de Gestão à Vista 6 Passos para automatizar um Workflow!