|

No-code: o que é?

[banner] o que é no-code

No-code traduzindo para o português significa “sem código” e é um movimento tecnológico e social que permite que você desenvolva soluções web e mobile sem programação. O desenvolvimento de aplicações, sem o uso de nenhum código, é permitido através de ferramentas no-code.

Deste modo, a barreira de conhecimento que existia entre os desenvolvedores e os usuários de negócio deixou de ser um empecilho. Pois, o no-code permite que os citizen developers (desenvolvedores cidadãos) desenvolvam suas próprias soluções.

O que é no-code?

O movimento no-code permite que você desenvolva aplicativos e soluções de negócio sem precisar de conhecimento técnico em programação de códigos. Você deve estar se perguntando como isso é possível?

Veja só, as ferramentas no-code ganharam este poder por serem ferramentas de interface visual. Sendo assim, ao invés de ter que codificar uma solução, você consegue criar e automatizar um fluxo de trabalho com opções de arrastar e soltar.



Ou seja, com esse tipo de ferramenta, não é necessário que você seja um desenvolvedor para poder construir ou criar produtos com rapidez. Você mesmo desenvolve habilidades para construir seu próprio aplicativo! 

Explicando de forma prática

Por exemplo, uma pessoa do RH que está sempre cheia de e-mails com solicitações de reembolso. O sonho dela é poder fazer esse processo de forma automática, desde a solicitação do colaborador, passando pelo RH e terminando no financeiro. Porém, a TI não consegue dar atenção ao problema dela pois existem diversas outras situações críticas com que eles devem se preocupar.

Sendo assim, uma ferramenta no-code permitiria que ela mesma automatizasse esse processo, simplesmente conectando elementos gráficos de forma intuitiva e acessível. Problema resolvido, ela atingiu seu objetivo e não demandou a TI. Legal, não é mesmo?

Quando começou o movimento no-code?

Pode parecer que todo esse movimento é algo bastante novo, não é mesmo? Mas engana-se quem acredita nisso. Os primeiros registros dessa revolução de ferramentas com baixo nível de codificação foi no final dos anos 90, início dos anos 2000.

Embora já existissem há algumas décadas, as ferramentas ainda não eram tão simples ou intuitivas e apresentavam algumas limitações.

Contudo, foi no ano de 2018 que aconteceu o verdadeiro “bum” dessas ferramentas. A ascensão do movimento no-code começou a mudar o cenário da tecnologia.

Isso porque, foi nesse ano, que uma publicação muito importante no meio trouxe à tona que uma série de startups estavam investindo nesse tipo de tecnologia, o que aceleraria (e muito) o desenvolvimento de soluções.

Além disso, essa nova geração de ferramentas está ficando mais amigável, intuitiva e, consequentemente, mais poderosa.

A diferença entre low-code e no-code

Pois bem, vamos voltar uma casa para colocar os pingos nos “is”. Muita gente costuma se perguntar qual a diferença entre uma ferramenta no-code e uma ferramenta low-code. Na verdade, a própria tradução do termo já indica a diferença. Enquanto uma ferramenta low-code pode ser descrita como uma ferramenta que permite o desenvolvimento de aplicações com o uso de pouco código , a ferramenta no-code é o avanço dela. Permitindo que uma pessoa que não conheça nada de programação possa desenvolver suas aplicações sem utilizar nenhum código.

E o que faz uma ferramenta no-code?

Como já mencionado anteriormente, as ferramentas sem código fornecem uma maneira de construir aplicativos da web e aplicativos móveis sem escrever uma linha sequer de código de programação.

Além de reduzir a codificação, também permite que ideias sejam traduzidas em algum produto com mais velocidade. 

Resumidamente, se você deseja construir um aplicativo (móvel, web, etc), ou um site por exemplo, mas não sabe como codificar, então você usa uma plataforma para construí-lo e implantá-lo.

Sendo assim, ao invés de construir seu layout com linhas e mais linhas de códigos, você simplesmente arrasta e solta os componentes ou partes de um aplicativo desejado no local que você definir mais apropriado.

O valor de uma ferramenta no-code está no deslocamento do desenvolvedor dos fluxos de trabalho de um projeto para outros mais críticos. Veja só, com uma ferramenta como o no-code, o citizen developer pode modelar seu projeto.

Além disso, fazer simulações e protótipos da solução e até mesmo construí-la em linguagens funcionais. 

As plataformas no-code já são uma realidade

Se por um lado, a ferramenta no-code era um sonho de muitos, por outro era uma promessa muito antiga de muitos fornecedores de tecnologia. Embora pareça coisa de outro mundo, ou um futuro muito distante, as ferramentas, também chamadas de plataformas no-code já são uma realidade.

Eu posso até chutar que você talvez já as utilize e nem saiba, pois acredite, elas estão espalhadas por muitos todos os lados. 

Ferramentas como Webflow, Bubble, Buildbox ou Shopify permitem que citizen developers construam suas próprias soluções em um território que costumava ser ocupado apenas por programadores.

Benefícios do no-code

À medida que o movimento no-code ganha força, criar aplicativos e softwares se torna cada vez mais acessível a qualquer pessoa. Deste modo, a comunidade citizen developer irá aumentar, permitindo que todo tipo de ideias, antes contidas pela alta demanda em cima dos desenvolvedores, sejam aplicadas e resultem em algum produto. Todo mundo será um criador de softwares

Democratização no desenvolvimento de softwares e aplicativos

Não quero ser repetitiva, mas não posso deixar de destacar esta vantagem. O no-code permite a democratização do desenvolvimento de soluções web.

Como já mencionamos, todo mundo vai poder criar soluções, mesmo que não tenha nenhum conhecimento técnico. Pois, ao utilizar uma ferramenta no-code para o desenvolvimento destas soluções, não é necessária nenhuma codificação.

Velocidade de desenvolvimento

A partir do momento que qualquer pessoa consegue realizar alguma tarefa, mais rápido ela poderá ser finalizada.

Ou seja, soluções que anteriormente precisavam ser criadas por desenvolvedores, normalmente levavam muito mais tempo para sua execução. A necessidade de uso de linhas de código e programação demandava este tempo dos desenvolvedores.

Atualmente, soluções que podem ser desenvolvidas em uma ferramenta no-code, irão ser entregues mais rapidamente. 

Redução de custo

O custo de desenvolvimento pode ser significativamente reduzido. Começando pelo custo/hora do desenvolvedor, que em sua maioria são mais altos que os demais membros da equipe.

Além disso, projetos de desenvolvimento de soluções contemplam diversos cursos para produção e teste, que podemos levar em consideração, neste caso. 

Autonomia

O no-code significa sem código, ou seja, proporciona total autonomia para o citizen developer. O que isso quer dizer? Quer dizer que qualquer pessoa tem a liberdade de desenvolver qualquer ideia e testá-la. Se não deu certo, ok. Tenta de novo.

Além disso, a cada tentativa, o conhecimento deste desenvolvedor para criar soluções, aumenta. Com a caixinha de conhecimento crescendo, muitas melhorias podem começar a surgir. 

Especificidade

Isso é incrível, veja só, no momento em que o citizen developer está criando uma solução, ele está buscando a melhor maneira para tratar a sua dor. Ou seja, o resultado desta solução será único e poderoso para aquele problema.

Deste modo, ao criar uma solução com uma ferramenta no-code, o desenvolvedor cidadão estará criando um fluxo de trabalho que representa realmente a forma que ele realiza o seu trabalho. 

Como os desenvolvedores podem se beneficiar disso? 

Nesse momento você deve estar se perguntando se os desenvolvedores vão perder seus empregos. Seria isso o fim de uma era? Calma, não é isso! Sabe o porquê? O movimento no-code não vem só para tornar a vida de quem não é desenvolvedor mais acessível. Mas ele vem também para tornar a vida dos desenvolvedores mais fácil e produtiva.

Isso tudo porque os desenvolvedores ganham tempo livre para usar as suas habilidades técnicas para resolver problemas mais complexos. Ou seja, eles podem dedicar mais tempo a demandas mais críticas dentro da empresa. Fazendo valer todo o seu conhecimento técnico, de anos de estudo e dedicação.

Com o uso de plataformas e ferramentas no-code, você libera os desenvolvedores para aprimorar novas ideias e para enfrentar desafios mais complexos! Tornando sua mão-de-obra mais valiosa para a empresa. Então, os desenvolvedores seguirão sendo uma parte essencial para os negócios! 

Mas, nem tudo são flores…

Sim, as ferramentas no-code já são uma realidade. De fato, elas tornam o processo de criação de aplicações mais acessíveis e democráticos. Com elas, não é preciso mais esperar que a área de TI desenvolva a codificação apropriada, ainda mais em uma época em que o mercado está acirrado.

Entretanto, isso não significa que você irá começar a trabalhar em uma ferramenta hoje e sair usando a sua aplicação no final da tarde. Isso até é possível, desde que você já tenha estudado, entendido como funciona a ferramenta em que você está trabalhando. 

Eu posso fazer um bolo, mas, para isso, eu preciso saber utilizar os utensílios de cozinha e o forno. O mesmo paralelo pode ser feito com as ferramentas no-code. A diferença é que você não vai precisar estudar 5 anos todos os tipos de linguagem de programação para daí começar a desenvolver.

Você só precisará estudar a ferramenta escolhida e os recursos dela. Sendo assim, sua curva de aprendizagem é bem menor, não é mesmo?

Por fim, um convite…

Se você gostou do assunto, ou teve um mínimo de interesse, saiba que eu não vou terminar esse texto com um simples “até mais, pessoal”. Aí vai a boa notícia: fizemos  um webinar todinho focado no tema! slightly smiling face Veja só o que foi abordado nesse super evento online e gratuito:

  • O que é “no-code” e qual o tamanho desse movimento;
  • O que eu posso construir com ferramentas no-code;
  • Tipos de ferramentas no-code;
  • Exemplos de ferramentas no-code.

Sim, teve demonstração prática de ferramentas que podem ser utilizadas sem a necessidade de codificação!

Quem comandou essa verdadeira aula sobre o assunto foi o mestre, Rafael Bortolini, Diretor de P&D e Inovação aqui na Zeev! Rafael é líder em equipes que desenvolvem integrações entre ferramentas de colaboração e Internet de Coisas (IoT), inteligência artificial (AI), blockchain e sistemas de análise de dados.

Além disso, é Mestre em Engenharia de Produção, sendo professor em cursos de Ensino Superior! UAU!!

Webinar: Revolução no-code

Até o próximo conteúdo!

Stories


Artigos Similares

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.

Entendido
BPMS 5 funcionalidades e vantagens Janela de Johari o que são os 4 eus O que é e quis são as vantagens de um Quadro de Gestão à Vista 6 Passos para automatizar um Workflow!