|

BPM na área financeira: quais são os benefícios e como aplicar

BPM na área financeira

BPM (Business Process Management) é uma disciplina que se concentra na modelagem de processos de negócios para otimizar a produtividade. As práticas de BPM na área financeira podem ser utilizadas para melhorar processos como gestão de fluxo de caixa, faturamento e contas a pagar e receber.

Neste artigo, mostraremos os usos e benefícios do BPM na área financeira. Além disso, abordaremos as etapas necessárias para identificar, analisar, modelar, implementar, monitorar e controlar os processos financeiros de uma empresa. Acompanhe! 

O que é BPM na área financeira?

BPM (Business Process Management, ou Gerenciamento de Processos de Negócios em português) é uma disciplina de gestão empresarial que visa otimizar os processos de uma organização para melhorar a eficiência e maximizar os resultados. 

A solução pode ser aplicada em diversas áreas da empresa, como financeiro, por exemplo. Além disso, vale ressaltar que controlar e automatizar processos financeiros é uma atitude fundamental para organizações que buscam manter a saúde financeira e crescer no mercado.



3 usos do BPM na área financeira

Na área financeira, o BPM tem múltiplos usos. Abaixo, conheça três exemplos: 

1- Automatização de processos

Uma das principais utilidades da disciplina de BPM é automatizar processos financeiros. Alguns exemplos de automatização são: processos de cadastro de clientes, fornecedores, solicitação de pagamento de faturas, cobrar clientes, gerar relatórios financeiros ou registrar informações de processos de pagamento e recebimento, por exemplo. 

Sendo assim, como resultado, a empresa reduz erros e aumenta a eficiência das atividades financeiras. 

exemplo de processo financeiro automatizado
Exemplo de processo financeiro automatizado.

2- Padronização de processos

O BPM também é usado para os times setor financeiro conhecerem e entenderem os processos da área. Isso é importante para que os processos sejam revistos, otimizados e padronizados, eliminando perdas.

Sendo assim, a partir do momento em que o processo é desenhado, conhecido e padronizado, a gestão identifica problemas e implementa medidas corretivas de forma ágil.

3- Implementação de controles internos

Outro uso muito comum do BPM é implementar controles internos na área financeira. Isso envolve políticas e procedimentos bem definidos para garantir a conformidade com os regulamentos financeiros aplicáveis, principalmente no que tange a alçadas de aprovação.

Além disso, o BPM, quando implementado com apoio de tecnologia, pode ser usado para monitorar automaticamente esses controles. Como resultado, a empresa não só reduz custos, mas também aumenta a produtividade.

Cinco vantagens do BPM na área financeira

 Na área financeira, o BPM pode trazer diversas vantagens. Veja cinco delas: 

1- Melhoria da eficiência

O BPM ajuda a agilizar os processos financeiros, eliminando atividades desnecessárias e automatizando tarefas rotineiras. Isso pode otimizar a realização dessas operações e aumentar a produtividade da empresa.  

2- Redução de custos

Ao otimizar processos, o BPM reduz custos operacionais na área financeira, minimizando falhas, erros de processamento e, principalmente, agilizando processos. Como sabemos o tempo é um recurso e gera custos quando não otimizado.

3- Melhoria da qualidade

A solução também ajuda a melhorar a qualidade dos processos financeiros. Isso porque reduz erros e aumenta a confiabilidade dos dados, o que permite aos gestores tomar decisões informadas e seguras.

4- Maior visibilidade

O BPM permite que os gerentes entendam melhor os processos financeiros da organização. Com isso, podem ver o que não está funcionando e com base nisso tomar uma decisão visando melhorá-los ou eliminá-los (se for o caso).

5- Maior agilidade no tempo de resposta 

Por fim, o BPM permite que as organizações respondam rapidamente às mudanças do mercado que podem afetar sua saúde financeira. Dessa forma, elas podem se manter saudáveis ​​e competitivas.

Saiba como aplicar o BPM na área financeira

Considerando que o BPM é uma solução que pode melhorar a atuação da sua empresa na área financeira, apostamos que agora você está se perguntando como aplicá-lo. Para tal, as dicas a seguir podem ajudar: 

Mapeie os processos financeiros

O primeiro passo é mapear os processos financeiros existentes. Então, documente todas as etapas envolvidas em cada processo financeiro, identificando os pontos de entrada e saída e as atividades e tarefas envolvidas.

Esta documentação deve ser usada como base para otimizar e melhorar os processos existentes.

Identifique melhorias

Após mapear os processos financeiros, identifique as tarefas financeiras que precisam ser aprimoradas. Por exemplo, pagamentos atrasados ​​a fornecedores são um problema que precisa ser resolvido ou a empresa sofrerá financeiramente.

Modele os processos financeiros

Além disso, crie modelos de processos financeiros para representar como eles deveriam funcionar idealmente, com base na análise da etapa anterior. Para isso, utilize fluxogramas e/ou outras ferramentas para criar os modelos.

processo de notas fiscais automatizado bpm na área financeira

Implemente as melhorias

Agora é a hora de implementar as oportunidades de melhoria identificadas. Nessa etapa, é importante anotar o que funcionou ou não na prática e corrigir.

Monitore e controle os processos

Faça o monitoramento e controle continuamente dos processos de negócio melhorados depois que as melhorias forem implementadas.

Sendo assim, essa etapa é tão importante quanto todas as outras por ser responsável por garantir que os processos funcionem de forma eficiente.

Gestão de processos financeiros

Por fim, quer saber mais sobre a gestão e automatização de processos financeiros? Acesse a categoria financeiro do blog Zeev.

Stories


Artigos Similares

A Zeev coleta, via cookies, dados essenciais para o funcionamento do site e métricas de acesso. Saiba Mais.

Entendido
BPMS 5 funcionalidades e vantagens Janela de Johari o que são os 4 eus O que é e quis são as vantagens de um Quadro de Gestão à Vista 6 Passos para automatizar um Workflow!